Salas de Esperança

“Levanto os meus olhos para os montes e pergunto: De onde me vem o socorro?
O meu socorro vem do SENHOR, que fez os céus e a terra.”

Salmo 121.1-2

"Porque em esperança fomos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê como o esperará? Bom é ter esperança, e aguardar em silêncio a salvação do SENHOR. Que o DEUS de esperança vos encha de todo o gozo e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo."
 

Rm 8.24 / Lm 3.26 / Rm 15.13

o que são Salas de Esperança?

Ambientes e instrumentos para trazer esperança e encorajamento, uma conexão entre o grupo de oração de uma igreja local com familiares, amigos e parentes de pessoas acometidas pela doença, que infectadas, intubadas ou internadas que não conhecem o SENHOR.

Objetivo: 
Proclamar o Reino durante esse tempo de adversidade, levando os aflitos à ESPERANÇA para que a luz do SENHOR brilhe em lugares de trevas e para que haja uma colheita poderosa de filhos na mesa de provisão do PAI.

Como funciona:
Por meio de reuniões (2 horas) semanais via plataforma virtual, em dias e horários previamente determinados e concordados entre os participantes.

Formação da Equipe de Oração

  • A equipe é formada pela Liderança da Congregação, que identificará pastores ou intercessores (maduros e experimentados) que queiram assumir pelo menos uma Sala de Esperança;

  • As equipes devem ser compostas por pelo menos 2 (duas) pessoas;

  • Cada equipe, composta de duas pessoas, no mínimo, coordenará uma Sala de Esperança e se comprometerá com o dia/horário estabelecido;

  • As equipes receberão da igreja local os dados dos interessados e farão o contato inicial com a família informando o horário de atendimento e qual plataforma virtual utilizarão;

  • As equipes também deverão prestar contas ao líder local ou pastor, sobre o funcionamento semanal da sala, compartilhando impressões e recebendo orientações deste líder, etc.

Atendimento na Sala de Esperança

Um só Corpo, um objetivo, uma visão, um Reino,

O SENHOR sobre a região, cidade, estado e nação!

Passo 1: A equipe deve se reunir pelo menos 30 (trinta) minutos antes do atendimento para orarem juntos (sugestão de pauta ao fim da apresentação) e combinarem a estratégia que será usada (compartilhamento de algum texto bíblico, direção profética ou outra).

Passo 2: No dia do atendimento, a equipe deverá enviar o link da sala virtual para a família até 10 (dez) minutos antes do horário acertado.

Passo 3: Na Sala, a equipe deve tomar a iniciativa da conversa e a direção da reunião, atenta ao momento em que a família vai expor a sua situação (medos, anseios, etc). Caso a família não consiga falar, ore por eles segundo a direção do Espírito Santo. Tenha sempre em mãos textos bíblicos que poderão auxiliar neste momento.

Passo 4: Depois de ouvir a família, a equipe deverá orar com a(s) pessoa(s), encorajando-a(s), dando o suporte necessário, expressando o amor, importância e atenção com a família. Busque sempre a liderança do Espírito Santo sobre o que Ele quer comunicar, o que Ele quer que ore, etc.

Passo 5: Encerrando o horário estabelecido, faça as recomendações necessárias e despeça a pessoa ou família.

Obs.1: Fique atento para que haja estrito cumprimento do horário limite estabelecido.

Obs.2: Caso a reunião se delongue por mais tempo do que o combinado, devido a pessoa/família apresentar outras necessidades de intercessão, tal assunto fica sob a responsabilidade aos líderes da igreja local, que devem se dispor de alguma maneira para servir, prestar auxílio e suporte para tais.

Recomendações às equipes

  • Não entrar em discussões políticas ou questões ideológicas;

  • Ser paciente com o que irá escutar;

  • Agir no amor;

  • Entender o governo de DEUS sobre as circunstâncias;

  • Evitar frases humanistas como: “Vai dar tudo certo”, “Deus vai curar” (exceto quando se tem uma palavra profética julgada e testificada), “Ele(a) vai sair desta”, etc.

  • Evitar receitar remédios ou soluções caseiras para o caso, bem como interferir no procedimento médico que estão seguindo (se protocolo ou não). No máximo quanto ao cuidado devido não está sendo observado (se a pessoa está adoentada e não procurou ajuda médica).

  • Evitar contar a sua história ou casos que você conheça (a não ser debaixo da direção do Espírito Santo, como parte de um testemunho que vai gerar fé e confiança). Lembre-se que o tempo ali é para OUVIR e ORAR.

Pauta para a equipe

Arrependimento pessoal

Sugestão: Começar confessando pecados individuais, clamando o sangue de Jesus para limpar a mente, coração, emoções, pra que o governo do Senhor se estabeleça durante esse tempo.

Declare: 1Jo 1:9 — Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar todos os pecados e nos purificar de qualquer injustiça. 

Sl 51: 1-2 — Tem misericórdia de mim, ó DEUS, por Teu amor; por Tua grande compaixão apaga as minhas transgressões. Lava-me de toda a minha culpa e purifica-me do meu pecado.

 

Escudos

Sugestão: A seguir é importante levantar os escudos do SENHOR para que não ocorram interferências e que a obra seja completa. 

Declare: Zc 2:5 — Pois EU, diz o SENHOR, serei para ela um muro de fogo em redor, e para glória estarei no meio dela.

Sl 91:4 — Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel.

Sabedoria e revelação 

Agora clame por sabedoria e revelação nesse tempo de reunião, sujeitando todo pensamento à obediência de Cristo.

Declare: Ef. 1:17 — Para que o DEUS de nosso SENHOR Jesus Cristo, o PAI da glória, vos dê o espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento Dele.

2 Co 10:5 — Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de DEUS, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo;

 

Declarando Jesus como SENHOR da vida, como Quem já levou sobre Si todas as enfermidades e É socorro!

1Co 15:25-28 — Pois é necessário que Ele reine até que haja posto todos os inimigos debaixo de Seus pés. Ora, o último inimigo a ser destruído é a morte. Pois se lê: Todas as coisas sujeitou debaixo de Seus pés. Mas, quando diz: Todas as coisas lhe estão disponíveis, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas. E, quando todas as coisas Lhe sujeitou, então também o próprio Filho Se sujeitará Aquele que todas as coisas Lhe sujeitou, para que DEUS seja tudo em todos.

Is 53:5 — Mas Ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados.

Por um Brasil rendido aos pés de Cristo.